Tesouros da Ria
— desde 2018 —

No mundo complexo do trabalho atual, muitas vezes vemo-nos a braços com funções nas quais simplesmente não nos revemos. Porém, por vezes, o problema não reside na área em si, mas simplesmente nas circunstâncias. Um ‘nadinha’ de criatividade, uma pitada de alma, estes são ingredientes perfeitos para trazer um novo gosto pelo trabalho.

Inês Bola, formada em engenharia alimentar, encontrou esses ingredientes. O seu percurso profissional levou-a a terras angolanas onde permaneceu durante um ano e meio. Em 2014, regressou a Portugal e resolveu enveredar por um caminho diferente. Desde sempre tinha nutrido uma paixão pela confeção de bolos e, a sombra de instabilidade que pairava no mercado de trabalho, em Portugal, levou-a a dedicar-se a cake design. Começou por preparar as suas delícias para familiares e amigos, mas à medida que a solidez das estruturas usadas nos bolos aumentava e que a sua perícia de modelação conquistava formas impossíveis, começou a idealizar a sua primeira marca, o Sabor e Arte. Em Março de 2016, criou um espaço físico, na Rua Gil Vicente, nº182 R/C esquerdo na Gafanha da Nazaré, onde tinha estado uma loja de informática.

A 22 de Setembro de 2018, Inês resolveu complementar o 'doce' com um pouco de 'salgado'. Surge, então, o Tesouros da Ria, um conceito inovador que traz até si crakers de sabores típicos da beira-mar aveirense. São seis as variedades que prometem desafiar o palato: a Varina, com gramata branca e alecrim, o Pescador com cabelo-de-velha e especiarias, o Cagaréu, com alface do mar e especiarias, o Ceboleiro, com cebola, o Marnoto, com salicórnia e alho, e a tricana com alga botelho-comprido e especiarias, sendo que todas as crackers usam flor de sal na sua confeção. Além dos sabores tradicionais, a imagética que acompanha este produtos conta um pouco da história de Aveiro, com figuras e locais que marcaram a cidade e lhe conferiram a sua identidade. Todo este trabalho de imagem foi desenvolvido pelo designer Tiago Correia, após ela própria marinar bem o conceito durante um ano. Quanto aos ingredientes, provavelmente alguns causam algum espanto, nomeadamente a alga cabelo-de-velha (também conhecida por ogonori) e a planta gramata branca. Esta última que cresce nas salinas, pertence à família Chepodiacaae, designa-se cientificamente por Halimione portulacoides e a sua folha suculenta e salgada pode ser utilizada em saladas e cozidos. Já a alga cabelo-de-velha, pertence ao género Gracilaria e é uma iguaria de sabor suave, muito utilizada na cozinha japonesa, havaiana e filipina. Curiosamente cresce mesmo aqui na nossa costa.

Aveiro continua a mostrar que tem muito para oferecer, não só a Portugal, como também ao mundo. Inês criou uma marca que dá a conhecer a nossa história a quem nos visita e convida à memória a quem na beira-mar nasceu. Venha provar estes tesouros crocantes e diferentes na Sabor e Arte!  
Tesouros da Ria

 

2018-11-28T12:43:31+00:00